Programa Dreamers

Chegaram aos Estados Unidos quando ainda eram crianças junto com boa parte dos seus familiares, atravessando a fronteira que une este país com México. São denominados dreamers, jovens que cresceram e cursaram o ensino obrigatório nos EUA, a pesar de manterem uma situação administrativa irregular desde que chegaram.

Em setembro de 2017, o governo estadunidense comunicou a decisão de dar fim ao programa de Ação Diferida para Chegados na Infância ou DACA (pelas suas siglas em inglês), que protegia os dreamers frente à Deportação e reconhecia a possibilidade de obterem uma residência por trabalho renovável a cada dois anos. 

A retirada do DACA (anunciado para março de 2018) deixaria aproximadamente mais de 600.000 jovens mexicanos em risco de serem deportados, a menos que o Congresso dos Estados Unidos impulsione finalmente uma reforma migratória.

A inclusão social e laboral dos jovens dreamers que retornaram ou que previsivelmente retornarão para o México é um dos desafios a ser abordado pelo país, se tratando, na maioria dos casos, de pessoas com formação superiores que podem contribuir com habilidades, conhecimentos e experiências de grande valor. E isso foi o que pensou a Fundação SM e SM no México quando desenvolveu o Programa Dreamers, junto com a University of Dayton, para oferecer bolsas para 15 estudantes que desejam obter o certificado Teaching English as a Foreing Language (TEFL) e exercer como professores de inglês nas instituições educativas do país. A iniciativa surge, portanto, “para dar respostas a uma realidade que sofrem os mexicanos que se viram obrigados a voltarem”, explicou Fernando Salinas, diretor de clientes da SM, durante a inauguração do evento.

Além disso, o Programa conta com a colaboração de Otros Dreamers en Acción (ODA), organização binacional com base no México, fundada em 2016 por jovens que voltaram para lá, para defender os direitos dos migrantes, reunir as famílias que se separaram por causa da fronteira e contribuir com a integração e transformação do México.

“Esta iniciativa com a Fundação SM e a University of Dayton é um projeto com o qual estamos muito emocionados”, destacava Maggie Laredo (co-diretora da ODA), “porque abre novas oportunidades e alternativas para o retorno [desses jovens]”.

A participação de Otros Dreamers en Acción ajudou na divulgação e conhecimento do programa através das redes sociais, assim como na identificação e seleção dos 15 participantes.

O curso para obter o certificado Teaching English as a Foreing Language que começou no dia 12 de janeiro e termina no final de julho, está desenhado especificamente para docentes da América Latina. Nele, são abordados os princípios básicos para o ensino da língua e ferramentas para a prática docente e a avaliação.

“Dreamers surgiu tomando a educação e a cultura como as ferramentas mais poderosas para a transformação das sociedades”, sinalizou Cecilia Espinosa, diretora da Fundação SM, no ato de inauguração. O certificado que os estudantes irão receber é emitido pela University of Dayton Language Institute, cuja representante Brenna Seifried afirmou que “ao nos conectarmos com a América Latina através de iniciativas de educação, se abrem portas de colaboração com os Estados Unidos e ajuda a criar comunidades de aprendizagem em todo o mundo”.

Os jovens que participam no programa são oriundos de diferentes partes do país (Coahuila, Monterrey, Estado de México) e cresceram e/ou realizaram estudos prévios no EUA (Califórnia, Utah) em diversos campos. Todos eles coincidem em destacar o programa como uma oportunidade para validar todo o que aprenderam e crescerem como docentes e como pessoas no seu retorno para o México.

“É algo muito bonito e nos dá a oportunidade para continuar crescendo como profissionais”

(Julio López, bolsista no Programa Dreamers)