O Observatório da Juventude na Ibero-América é apresentado oficialmente no México

9 de abril, Cidade do México. Às 10 horas da manhã, na sede da Editorial SM, foi realizada uma coletiva de imprensa para apresentação do capítulo mexicano do programa do Observatório da Juventude na Ibero-América (OJI).

Javier Palop, diretor global da Fundação SM, abriu o evento destacando os 30 anos de experiência e reconhecimento da Fundação na área de pesquisa sobre a juventude na Espanha. Uma pesquisa, destacou Palop, que sempre esteve voltada para melhorar o trabalho dos educadores, facilitando uma maior compreensão da realidade juvenil e dos diferentes contextos nos quais ela se desenvolve.

Em seguida, a intervenção de Cecilia Espinosa, diretora da Fundação SM no México, destacou a força das parcerias iniciais do programa no México: Servicios a la Juventud (SERAJ), Youthbuild México e Acción Ciudadana Frente a la Pobreza são as organizações da sociedade civil que vão figurar como parceiras estratégicas do Observatório da Juventude e cujos principais objetivos para o país, segundo Cecilia Espinosa, incluem:

  • Gerar dados objetivos que permitam definir o status das juventudes no México.
  • Desenvolver produtos de comunicação, baseados nesses dados, que sejam compreensíveis para o público em geral.
  • Criar espaços de mobilização e ação conjunta para a defesa e a promoção dos direitos da juventude.

Lorenzo Gómez Morin, pesquisador que vai coordenar os trabalhos do OJI no México, falou sobre a pesquisa da juventude, cujos resultados serão anunciados no mês de junho. Trata-se de uma pesquisa com representatividade nacional que abordará as principais áreas de interesse do programa: trabalho, confiança nas instituições, pertencimento, convivência, uso do tempo, migração e religiosidade.

Após a coletiva de imprensa, Mayra Torres e Jorge de Jesús Sandoval, dois jovens participantes do programa “Jóvenes con Rumbo”, compartilharam suas experiências de crescimento pessoal e profissional nos centros de “segunda oportunidade” que a SERAJ e a Youthbuild mantêm no país e falaram sobre o valor de ajudar suas comunidades e o grupo de jovens que participam com eles no programa.

A jornada foi encerrada com uma mesa de debate que contou com a participação de: Paloma Fontcuberta (Observatório da Juventude), José Antonio Pérez Islas (Universidad Nacional Autónoma de México), Tere Lazagorta (Youthbuild) e Rogelio Gómez (Acción Ciudadana Frente a la Pobreza).

Os principais temas apresentados foram:

  • A experiência do Observatório na Espanha, projetos de colaboração com a CEPAL e o Centro Reina Sofía sobre Adolescencia y Juventud (CRS), e próximos passos. Paloma Fontcuberta.
  • Resumo dos estudos sobre a juventude na América Latina e novos desafios temáticos (relações juvenis de gênero, retorno ao pensamento mágico/religioso, símbolos e práticas que estão gerando a nova sociabilidade juvenil e os novos agenciamentos juvenis). Jose Antonio Pérez Islas.
  • Experiência de trabalho da Youthbuild no México e contribuições para o Observatório da Juventude. Destacou-se o contato direto e permanente da organização com os e as jovens (600 participantes do programa em 16 bairros de 7 cidades) e a valiosa contribuição da Youthbuild para a geração de dados e conhecimentos sobre as juventudes, com a participação destas, de forma a apresentar, com mais eficácia, modelos ou propostas de trabalho. Tere Lazagorta.
  • Perspectivas de trabalho do OJI com relação à política pública. A defesa e a promoção dos direitos da juventude foram destacadas como perspectiva fundamental a partir da qual o Observatório vai propor sua colaboração aos órgãos públicos. Nesse sentido, será preciso contribuir com conhecimento para reverter as principais dinâmicas geradoras de pobreza e desigualdade na população jovem (processos educativos interrompidos, formação deficiente para a vida e o trabalho, desemprego e empregos precários). Rogelio Gómez.