jovenes españoles 1999 fundacion SM

Quinta pesquisa sobre a realidade da juventude espanhola, publicada pela Fundação SM

Jovens Espanhóis 99

Autores: Javier Elzo, Francisco Andrés Orizo, Pedro González Blasco, Juan Mª González Anleo, Mª Teresa Laespada, Leire Salazar.

*O link será aberto em uma nova aba do seu navegador

O trabalho sincrônico, diacrônico e comparativo Jovens espanhóis 99 (Jóvenes españoles 99, título original) sobre a juventude espanhola forma parte da série de estudos sobre o tema que a Fundação SM vem realizando.
O informe começa apresentando uma tipologia dos jovens espanhóis baseada nos seus sistemas de valores, tema central e distintivo em todas as pesquisas realizadas pela Fundação. Os seguintes capítulos analisam o estado da juventude com respeito às suas práticas e espaços de socialização: sociedade e instituições, família e escola, relações sociais, religião e atividades não formalizadas.

Ser jovem se constrói de acordo com o contexto histórico em que vivemos

Jóvenes Españoles 99
Ser jovem

Nunca uma geração foi tão autônoma, com um horizonte menos pré-determinado e mais aberto. Esta é a sua vantagem e o seu risco

Jóvenes Españoles 99
Nunca uma geração
Ajuventude não somente é uma parte diferenciada da sociedade, mas também forma parte integral da mesma. Não cabe falar sobre uma cultura especificamente juvenil, mas sim de uma cultura própria da sociedade ocidental de finais de século da qual participa a juventude; os jovens se encontram perante um policentrismo de fatores e estímulos diversos que participam na sua socialização. Estamos diante de uma juventude que cresceu com mais meios e proteção do que qualquer outra, mais educada nos direitos do que nos deveres, tendo como resultado um modelo de jovem carente de estruturas próprias de responsabilidade. Essas são algumas das hipóteses abordadas ao longo desse estudo.