Terceira pesquisa sobre a realidade da juventude espanhola, publicada pela Fundação SM

Jovens Espanhóis 89

Autores: Juan González Anleo, Pedro González Blasco, Luis Ayuso, Juan Mª González Anleo, Gonzalo González, Jose A. López y Maite Valls.

*O link será aberto em uma nova aba do seu navegador

O informe Jovens espanhóis 1989 (Jóvenes españoles 1989, título original) foi na época uma novidade no terreno dos estudos sobre juventude pela incorporação e pelo tratamento minucioso de uma abundante série de temas. Tais temas vão do mais ou menos comuns — sobre a atitude e o comportamento dos jovens na família e em outras instituições — até como reagem diante de conceitos e realidades, como mídia social, ecologia, pacifismo, antimilitarismo e outros “-ismos”. Também nos revela qual tratamento o exercício do poder político merecia para os jovens, que opinião tinham sobre a democracia e o sistema econômico e como se posicionavam com respeito à Europa comunitária da qual a Espanha forma parte.

Os jovens encontram nos amigos e nos meios de comunicação as suas referências mais importantes para a orientação das suas visões do mundo

Jovens Espanhóis 89

O alto grau de identificação com o sistema democrático não parece implicar uma ingênua mitificação do mesmo, como se de uma panaceia universal se tratasse

Jovens Espanhóis 89
Por primeira vez se introduz a interessante novidade metodológica de distribuir o segmento juvenil em oito tipologias bem diferenciadas. Não menos interessante é a radiografia que os autores mostram sobre a evolução da juventude espanhola nesse momento, através da análise comparativa das enquetes e dos estudos de 1981, 1984 e 1989.