Jóvenes 2010 Fundación Santa Maria Estudios sobre Juventud observatorio de la Juventud

Sétima pesquisa sobre a realidade da juventude espanhola, publicada pela Fundação SM

Jovens espanhóis 2010

Autores: Juan González Anleo, Pedro González Blasco, Luis Ayuso, Juan Mª González Anleo, Gonzalo González, Jose A. López y Maite Valls.

*O link será aberto em uma nova aba do seu navegador

Com o presente livro sobre os jovens espanhóis, a Fundação SM chega à sua sétima pesquisa sobre esse tema. Com respeito aos conteúdos, são mantidas as aproximações clássicas aos valores dos jovens, a sua integração social e política, a família, a religião, o lazer, o consumo e os meios de comunicação. Esse informe traz como novidade um capítulo específico dedicado ao tema dos jovens e a imigração.
Entre as principais conclusões, podemos destacar que os jovens consideram “muito importante”, acima de tudo, a sua família, a saúde e os amigos e colegas.

A sua confiança continua estando depositada naquelas instituições que sentem mais próximas a eles e sobre as quais sabem mais, como as organizações de voluntariado e o sistema de ensino.

A religião continua ocupando um dos últimos lugares em uma escala de valorização das coisas mais importantes para os jovens (22 %), a pesar de que sobe três pontos percentuais com respeito ao informe anterior. No entanto, cerca de 53,5 % dos jovens se definem como católicos.

Finalmente, o uso do celular passou de maioritário a quase absoluto na atualidade, pois são o setor da população que mais o utiliza (98 %). Com respeito ao uso do computador, a porcentagem de jovens que o utiliza a diário duplicou — atualmente, um de cada dois jovens.

Mais derrotados do que rebeldes — hedonistas como sempre —, porém menos transgressores e pessimistas perante um futuro no qual a maioria espera ter uma pior qualidade de vida do que os seus pais

Jóvenes Españoles 2010
Mais derrotados