Estudios sobre Juventud

Sexta pesquisa sobre a realidade da juventude espanhola, publicada pela Fundação SM

Jovens espanhóis 2005

Autores: Pedro González Blasco, Juan González Anleo, Javier Elzo, Juan Mª González Anleo, Jose A. López y Maite Valls.

*O link será aberto em uma nova aba do seu navegador

Oestudo Jovens espanhóis 2005 (Jóvenes españoles 2005, título original) é o sexto estudo geral realizado sobre os jovens espanhóis pela Fundação Santa Maria. Como de costume, as principais áreas de pesquisa foram mantidas: valores, família, religião, política, lazer e tempo livre, as quais foram adicionadas outras novas, como a participação e integração social e cultural e atividades artísticas. O informe também oferece uma análise evolutivo-temporal ao contar com os outros estudos gerais realizadas pela Fundação em anos anteriores.

A transitoriedade clássica do período juvenil se prolongou dada a dificuldade de integração no mundo laboral

Jóvenes Españoles 2005
Transitoriedade da juventude

O emprego do tempo livre se converte em um espaço central nas vidas dos jovens, podendo ser qualificado como forma de expressão cultural própria

 

O uso do tempo
Entre outras, nos dá conclusões como o sentimento de posse dos jovens com respeito à sua Comunidade Autônoma, a indiferença diante dos temas políticos e a confiança que depositam nas organizações de voluntariado. Além disso, revela que os jovens espanhóis conhecem de forma cada vez mais clara a realidade que os rodeia e se adaptam à mesma com lucidez. Simultaneamente, se percebe uma perda dos valores maiores, como a religiosidade, a abnegação ou a constância. Os autores ressaltam que as diferenças entre os jovens espanhóis de uma mesma geração se tornam cada vez mais profundas, os quais em nenhum caso formam um conjunto homogêneo, mas sim cada vez mais fragmentado.