Uma pesquisa sobre as diferentes maneiras que os jovens têm de construir o seu senso de pertença e identidade.

Identidades juvenis

Autores: Patricio Olivera e Daniel Valencia

*O link será aberto em uma nova aba do seu navegador

Os sentidos de pertencimento e os mecanismos de construção da identidade dos jovens estão em processo de mudança. Assim, os grupos aos quais as juventudes ibero-americanas aderem e dos quais tendem a participar afastam-se das referências clássicas nas quais a identidade era construída antes: a política e a nação perdem relevância, apenas a família mantém sua importância. Os jovens do mundo contemporâneo são interpelados e, ao mesmo tempo, sentem-se representados por grupos mais informais, que têm maior grau de horizontalidade, como os grupos musicais ou clubes esportivos.
Com relação às atitudes discriminatórias por parte dos jovens e seus valores diante de diversos temas, mais do que falar de uma transição inequívoca rumo a sociedades cada vez mais tolerantes e integradoras da diversidade, o que observamos são processos complexos e cheios de tensões, pelos quais os jovens constroem suas formas de interação com os outros e suas atitudes perante diferentes temáticas. Essa complexidade está relacionada aos processos de construção da identidade e das concepções do mundo das juventudes.