Juventude e desigualdades. As duas caras do México

Juventude e desigualdades. As duas caras do México

“As desigualdades no acesso à educação e às oportunidades econômicas fazem com que existam no México duas caras de um mesmo país: por um lado, um país onde existem jovens conectados e iguais, no sentido de acessos; e, por outro lado, jovens desconectados, desiguais e precarizados”. Com esta conclusão da doutora Rossana Reguillo Cruz, o diário digital sinembargo.mx começa uma série

Programa Dreamers

Programa Dreamers

Chegaram aos Estados Unidos quando ainda eram crianças junto com boa parte dos seus familiares, atravessando a fronteira que une este país com México. São denominados dreamers, jovens que cresceram e cursaram o ensino obrigatório nos EUA, a pesar de manterem uma situação administrativa irregular desde que chegaram. Em setembro de 2017, o governo estadunidense comunicou a decisão de dar fim ao programa de Ação Diferida para Chegados na Infância ou DACA (pelas suas siglas em inglês), que protegia os dreamers frente à Deportação e reconhecia a possibilidade de obterem uma residência por trabalho renovável a cada dois anos.