Juventude e desigualdades. As duas caras do México

Juventude e desigualdades. As duas caras do México

“As desigualdades no acesso à educação e às oportunidades econômicas fazem com que existam no México duas caras de um mesmo país: por um lado, um país onde existem jovens conectados e iguais, no sentido de acessos; e, por outro lado, jovens desconectados, desiguais e precarizados”. Com esta conclusão da doutora Rossana Reguillo Cruz, o diário digital sinembargo.mx começa uma série

SaferLab, uma iniciativa para reverter o discurso de ódio nas redes sociais

SaferLab, uma iniciativa para reverter o discurso de ódio nas redes sociais

A proliferação do discurso de ódio na internet — entende-se discurso de ódio como as manifestações que atacam e incitam o ódio contra determinados grupos sociais por razões como etnia, gênero, orientação sexual, religiosa ou origem nacional — é um fato preocupante que levou a organização SaferNet Brasil, em colaboração com o UNICEF e Google.org, a desenvolver um laboratório de ideias, o SaferLab, a fim de converter os jovens com menos visibilidade em criadores de novas narrativas que valorizem a diversidade.

O Banco Mundial alerta sobre a presença de uma “crise da aprendizagem” a nível mundial

O Banco Mundial alerta sobre a presença de uma “crise da aprendizagem” a nível mundial

A ideia inicial da qual parte o “Relatório de desenvolvimento mundial 2018: Aprender para tornar realidade a promessa da educação” (“World Development Report 2018: Learning to realize education´s promise”, título em inglês), é a necessidade de estabelecer uma distinção entre escolarização e aprendizagem. A escolarização sem aprendizagem, dirão os autores, não é somente uma oportunidade desaproveitada, mas também uma grande injustiça.