Vícios Digitais Parte II: Pornonativos

Vícios Digitais Parte II: Pornonativos

A notícia foi veiculada recentemente em um jornal de âmbito nacional: Maria, 12 anos, sempre foi uma garotinha gorducha, então seus pais atribuíram sua perda de peso repentina e extrema, quase 15 quilos nos últimos quatro meses, a um distúrbio alimentar. Assim, também eles interpretavam seus sinais visíveis de depressão, cada dia mais evidentes e desesperadores para os pais, incapazes de arrancar uma só palavra dela. Até que um dia, a mãe descobriu algo que havia passado despercebido por muitos meses e que a deixou atônita

Vícios digitais (parte I): A internet e as apostas on-line

Vícios digitais (parte I): A internet e as apostas on-line

Os especialistas em juventude não param de comprovar o que nossos olhos veem: com pouquíssimas exceções, os dados mostram que o consumo de substâncias viciantes pelos jovens nos países desenvolvidos continua caindo, incluindo aquela que tem a maior aceitação cultural e a maior penetração no mundo jovem, o álcool. Há muito que comemorar, ninguém duvida disso. Esses números são, em grande parte, resultado de esforços realizados por numerosos coletivos e instituições nacionais e internacionais, que visam o estudo, a prevenção e o tratamento [da dependência] dessas substâncias.

A condição juvenil diante das contradições culturais do capitalismo

A condição juvenil diante das contradições culturais do capitalismo

O século 21 começa da mesma forma que o século 20 termina, cheio de contradições e ambivalências nos diferentes aspectos socioeconômicos, culturais e pessoais. A globalização econômica está gerando uma crescente desigualdade, que impulsiona novos populismos no mundo todo. Algumas correntes falam do fim do neoliberalismo, motivado pela resposta insatisfatória dada pelo mercado aos grandes

A aprendizagem-serviço. Sucesso acadêmico e compromisso social

A aprendizagem-serviço. Sucesso acadêmico e compromisso social

Os debates atuais sobre inovação e qualidade na educação não giram exclusivamente entorno às habilidades (básicas, cívicas ou tecnológicas) que os jovens deveriam adquirir para alcançarem um desenvolvimento pleno nas sociedades nas quais vivem, mas também (e cada vez com maior força) entorno ao sentido que eles dão à escola, ao pro-cesso de aprendizagem e ao conteúdo curricular.